terça-feira, 15 de maio de 2018

Planeia a tua evolução pessoal


Ser-se livre não é nada fazer, é ser-se o único árbitro daquilo que se faz ou daquilo que se não faz. Jean de La Bruyère 

A liberdade é um dos maiores desejos que temos. Queremos ser livres, mas o que entendemos nós por liberdade? E para que queremos a liberdade?

Photo by Sebastian Voortman from Pexels

Há uns anitos escrevi aqui no Suspiro sobre a liberdade, foi nessa altura que a minha ideia de liberdade se alterou e que se formou na que tenho hoje. Antes, queria ser livre para não estar sujeita a horários, às pessoas que me constrangiam, às prisões exteriores que considerava diminuíam a minha liberdade, a minha capacidade de expressão. Mas nessa altura eu transformei a minha conceção de liberdade e hoje sinto-me livre quando me sinto responsável e consciente pelas minhas escolhas e pela pessoa que sou. Essa é a minha liberdade e é nela que eu insiro o planeamento da evolução pessoal.

Termos consciência de quem somos e termos desenvolvido o auto-conhecimento para sabermos o que queremos ser e quais as nossas forças e dificuldades é o ponto de partida para conseguirmos ser livres e conseguirmos evoluir enquanto seres humanos.

Quando conseguires saber qual o teu ponto x (onde estás) e o teu ponto y (onde queres estar), o caminho que terás que percorrer é o teu desenvolvimento pessoal, é a tua jornada de ser livre e que melhor e mais conscientemente será feita se a planeares.

Digamos que eu quero desenvolver a minha tranquilidade, a minha capacidade de foco, a minha consciência interior. Então, eu sabendo onde estou, em que condições estou hoje nestas áreas e conhecendo as minhas forças (que pode ser a força de vontade) e as minhas dificuldades (que pode ser a minha ansiedade) eu posso traçar um plano para ir ultrapassando os obstáculos e ir desenvolvendo aquelas competências.

Por exemplo, assumo que a yoga é o caminho para mim, juntamente com a meditação. Mas que sei eu sobre isso? Nada. Deverei, pois, como primeiros passos, aprender sobre o assunto. Posso ler e procurar informar-me, posso inscrever-me em aulas com mestres, posso participar em workshops, enfim. Traço um plano dentro das minhas possibilidades para conseguir desenvolver, sabendo de antemão qual é o meu motivo para estar a dar aqueles passos. É um caminho consciente com o foco bem nítido.

Photo by McKylan Mullins from Pexels
Depois de adquirido o conhecimento básico, posso traçar uma segunda etapa no meu plano e promover a prática, poderá ser um mês com 10 minutos por dia de meditação, o segundo mês com 20 minutos e por aí adiante conforme a minha ambição.

Ora, já percebeste, com certeza, o ritmo deste tipo de planeamento, não é verdade? Podes aplicá-lo a qualquer vertente que consideras importante para ti e para o teu crescimento pessoal. Uma coisa é certa, se planeares a tua evolução, se usares a tua liberdade para te tornares ainda mais livre e mais capaz, os teus níveis de satisfação irão aumentar e a tua felicidade também. 

Não te esqueças, no entanto, deste aspecto fundamental, na tua liberdade de escolheres o teu plano de evolução pessoal deves ser genuíno e sincero contigo mesmo, não procures chegar aos desejos dos outros, mas àquele lugar onde tu, e só tu, sabes que é o certo para ti.

Sem comentários:

Enviar um comentário