sexta-feira, 13 de abril de 2018

Bom fim-de-semana #25

Pais Brilhantes, Professores Fascinantes de Augusto Cury

Como sempre Augusto Cury tem o poder de me encantar com o que escreve ou fala. A mensagem é a mesma que tenho sempre ouvido ou lido, é fundamental para o bem-estar do indivíduo gerir as suas emoções, mas o alvo a quem dirige o seu discurso desta vez são os pais e os professores.
Photo by Dawn on Unsplash

Na primeira parte do livro aborda a figura dos pais, indicando sete hábitos que podem transformar bons pais em pais fascinantes. Dou um exemplo, Bons pais dão presentes, Pais brilhantes dão o ser. Neste caso, Cury defende que “os pais que se preocupam em dar a sua história aos filhos se tornam inesquecíveis”. Sublinhando a importância dos pais se humanizarem, de abrirem o coração aos seus filhos, mostrando os seus sentimentos, pedindo desculpa se exageraram, de mostrarem aos filhos a sua natureza humana, falível mas humilde.

Os sete hábitos vão neste sentido, de dar ênfase ao ser, à personalidade, ao diálogo à gestão das emoções.

A segunda parte do livro dirige-se aos professores, na mesma tónica, a transcendência do bom professor para o professor fascinante e aqui debruça-se sobre o que considera serem os segredos de um professor fascinante, como saber captar a atenção e ensinar para a vida, em vez de prepará-los para provas académicas.

Na terceira parte são apontados os sete pecados dos educadores. O corrigir publicamente, o uso da agressividade, a crítica excessiva, são exemplos.

A quarta parte leva-nos numa explicação muito clara e sucinta de como a nossa memória funciona, dando-nos a conhecer cinco papéis fundamentais:

1- O registo da memória é involuntário,
2- A emoção condiciona a qualidade do registo
3- A memória não pode ser apagada
4- A emoção condiciona o acesso às memórias
5- Não existe memória pura

A última parte mostra-nos como seria a escola ideal no entendimento do autor, sendo apontados os fatores que considera poderem determinar a eficiência da educação em sala de aula.

Bem, esta é a estrutura do livro. A forma acessível como está escrito, a clareza da linguagem e a simplicidade com que o raciocínio do autor nos é transmitido, torna-o de uma leitura rápida e muito agradável. 

O enfoque que dá ao Síndrome do Pensamento Acelerado e à forma como ele influí no estado de espírito da sociedade atual é digno de uma reflexão, mesmo para quem não tem filhos e não se dedica ao ensino. Para aqueles que são pais/educadores, considero-o uma obra incontornável. 

Sem comentários:

Enviar um comentário