terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Como foi? Exercício dos Cinco Dias

Prometido é devido, verdade?

Por isso aqui estou a cumprir o que te prometi quando te desafiei para o exercício dos cinco dias.

Venho contar-te como tudo correu.

Bem, em primeiro lugar tens que ter em mente que já venho a destralhar e a ter uma visão minimalista das minhas poses há algum tempo. Supostamente já nem deveria ser preciso fazer qualquer exercício deste género, mas a realidade é que destralhar, simplificar e minimalizar não é um ato isolado, é um processo contínuo que se assume como um modo de vida.

O que constatei é que, muito embora o volume do que destralho ou organizo seja bastante diminuto, em relação ao que tinha que fazer inicialmente, mesmo tendo uma postura diária de minimalizar, a tralha ainda aparece! 

Para não ser exaustivo, nem aborrecido, deixo apenas o exemplo das minhas gavetas do trabalho.

Aqui vês como estavam:


Gaveta 1 
É onde guardo os utilitários de que necessito ocasionalmente e aqueles "auxiliares" de vida (como seja o creme para as mãos, os lenços e os toalhetes) 





























Gaveta 2
Esta é a gaveta do bem-estar. Aqui guardo os snacks, a escova/pasta de dentes, o desodorizante, a caixa dos comprimidos, a lancheira elétrica e a minha caneca para o chá. 


Agora como ficaram.


Muito mais arrumadinha, não é? Mas, para além da organização, repara que agora, com a tralha tirada, posso mexer em qualquer coisa, acesso direto, sem interferir com nenhum outro objeto. Isso é muito bom, porque os meus movimentos ficam clean. Se, cada vez que tiro o agrafador, tiver que mexer no furador, isso significa que para aquela ação (tirar o agrafador) preciso de muito mais movimentos.

E agora repara na gaveta debaixo. Que maravilha para os olhos, não achas? Adoro espaços desocupados, transmitem-me a ideia de possibilidade e de organização. 

Tudo no seu devido lugar. Paz de alma!




4 comentários:

  1. Olá Cláudia.
    Realmente, as tuas gavetas parecem outras.
    Também houve um tempo em que o meu espaço de trabalho era atafulhado e desorganizado: o tampo da mesa nem se via, com tantos papíes e tarecos.
    Um dia decidi que não podia continuar mais assim: aos poucos, fui-me livrando dos papéis e do que estava a mais e uma das coisas que fiz foi passar a guardar as canetas, o furador, o agrafador, a calculadora e todas essas pequenas coisas que temos nos escritórios dentro da gaveta.
    Agora abro a gaveta, retiro, uso e volto a guardar. E não há nada melhor do que ver a secretária sempre limpa e organizada.
    Uma pessoa trabalha logo mais e melhor.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Mafalda.
      É verdade. Concordo inteiramente. Fica tudo no seu devido lugar, até os nossos pensamentos.
      Sabes o que também gosto de fazer? Assim que acabo uma atividade/tarefa guardo tudo como se fosse sair. Fica tudo clean. Depois penso no que vou fazer e começo a trabalhar, retirando o que preciso. Parece que o meu pensamento assim fica focado naquela atividade, sem coisas penduradas da anterior.
      Beijinhos.

      Eliminar
    2. É uma boa técnica, Cláudia :)
      :*

      Eliminar