quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Trilogia da Herança - Nora Robberts

Nora Robertes tem um grande impacto em mim. Não tem uma escrita que me fascina, nem comove. As histórias não são fortes nem enredadas. Mas sempre que leio um livro desta autora fico presa, rio-me, aborreço-me, fico expectante e também me enervo.

É isto que me faz gostar de ler os seus livros, é que me faz vivê-los como se estivesse lá dentro. Com pós de fadas faz magia e leva-me para outro mundo.

Esta trilogia conquistou-me, li-a em menos de nada, suspirei no fim de cada, principalmente no segundo livro e ri-me, ri-me ri-me. Atenção, o livro não é para rir, mas as personagens são muito divertidas e espirituosas e os diálogos estão muito bons.

Trata-se da história das três irmãs Concannon, filhas de Tom, as três muito diferentes, mas todas detentoras do dom da arte. 



O primeiro livro - Herança de Fogo, debruça-se sobre a Maggie, com a arte do vidro, é fogosa, apaixonada. Foi muito amada pelo pai mas tem um relacionamento conflituoso com a mãe. Maggie é só fogo, paixão e rebeldia e essas características vão marcar a sua relação com Rogan.

A Herança de Gelo, o segundo livro, trata de Brianna que tem o dom de tornar a vida acolhedora, tem uma estalagem e dedica-se à sua casa, à cozinha e às flores. Brianna rege-se pela ideia de que tem de ser conciliadora (está sempre entre a Maggie e a mãe) e servir para que os outros estejam bem. Desproveu-se de sentimentos, age intencionalmente sem paixão, tinha uma relação estável com o pai, mas desapaixonada e é o suporte da mãe. É este espírito desligado/frio e ao mesmo tempo acolhedor que irá encantar o escritor Grayson. (esta foi a personagem que mais me fez rir, Grayson conquistou-me pela alegria que me proporcionou).

Por fim, a Herança da Vergonha trata de Shannon, que tem em si o poder de desenhar.  Shannon desconhecia a sua origem e vive momentos de revolta e vergonha por ter sido gerada nas circunstância que foi. Esta história é a que considerei de menor qualidade, por vezes parece algo forçada e muito pouco terra a terra. Mesmo a sua relação com Murphy ficou, para mim, como algo inconsistente e "a martelo".

Cada uma delas, das meninas Concannon tem a sua personalidade influenciada, fortemente, pela sua relação com os seus pais, principalmente com o seu pai. É essa a herança que Tom deixou às suas filhas, a Maggie o Fogo, a Brianna o Gelo e a Shannon a Vergonha. 

A Trilogia acaba por ser um passeio pela vida de Tom, pelo que este deixou e pelas várias perspectivas que podem existir sobre acontecimentos e pessoas.



A Irlanda é descrita com amor. A forma como descreve os lugares é magnifica e transporta-nos para essa deslumbrante natureza selvagem.

Gostei bastante, refrescou-me o espírito e deixou-me muito bem disposta.


2 comentários:

  1. Muitas das trilogias da Nora Roberts são passadas na Irlanda, e confesso que as que li, me fizeram mesmo sonhar, tanto que é dos locais que mais gostava de visitar.

    Li esta trilogia, e gostei bastante!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Marlene,também a mim. A Irlanda era um local que eu não tinha grande curiosidade até ter conhecido Nora Roberts. Ainda ontem comecei a ver um filme só porque uma parte se passava na Irlanda. É o que faz uma boa autora...fica-nos no espírito! ;-)

      Eliminar