quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Algumas dicas sobre como definir prioridades

A definição das nossas prioridades é uma actividade determinante para o nosso bem-estar, primeiro porque nos projecta para a intenção do futuro, dos nossos sonhos, com execução no presente, atenção no agir agora, depois porque nos exige auto-conhecimento e planeamento.
Imagem
Quando passamos a definir as prioridades da nossa acção deixamos de ser observadores e passamos a ter total responsabilidade pela nossa vida e pela forma como a vivemos. As escolhas que fazemos e as actividades que levamos a cabo, em detrimento de outras, são da nossa responsabilidade.
Eu dou prioridade à minha filha, ao tempo de qualidade que passo com ela, por isso, se surgir uma oportunidade de trabalho que, embora esteja dentro do meu sonho profissional, obste àquele tempo de qualidade eu rejeitarei a oportunidade. É uma escolha consciente, coerente com a minha definição de prioridades, é da minha responsabilidade.
Este exemplo diz respeito a um plano maior das nossas vidas, mas o conceito subjacente é válido também para as pequenas coisas, como por exemplo a gestão que fazemos das actividades profissionais.
Imagem
A gestão pessoal e a gestão de tempo, associadas ao conceito de produtividade baseiam-se na escolha que fazemos das tarefas que temos em mãos. Com tantas exigências e expectativas é natural que por vezes nos sintamos confusos e incapazes de organizar a mente e definir as prioridades.
Senti-me muitas vezes assim até me ter apercebido, depois de ver este vídeo, que há:
· Actividades urgentes e importantes (estas são sempre o topo da lista)
· Actividades urgentes mas não importantes (dado o factor urgente, executo-as em segundo lugar, mas sempre procurando validar a sua verdadeira urgência. Não é por alguém me dizer que algo é urgente que eu acredito. Procuro sempre, antes de aceitar o caracter urgente de uma tarefa, perceber de que se trata e para quando é necessário entregar/ter pronto)
· Actividades importantes mas não urgentes (este terceiro lugar no pódio é o mais seguro para estas actividade, visto que, estando já libertas da pressão das actividades urgentes, poderão ser tratadas com a concentração e dedicação que o seu carácter de importante merece)
· Actividades não urgentes nem importante (apenas uma pergunta, para que servem?)

Para que esta definição de prioridades surta o efeito desejado, ou seja, organize o nosso dia-a-dia e permita uma gestão pessoal e de tempo mais eficientes, devemos ter alguns cuidados:
Imagem
1º - Adopta uma visão ampla sobre quem somos. Nós somos indivíduos, não um conjunto de indivíduos. Temos várias áreas de actuação, mas considerá-las separadas é como se procurássemos subdividirmo-nos! Isso é impossível. Devemos olhar para nós próprios como seres congregados cuja performance depende da forma consistente com que actuamos. Assim, é importante que organizemos as nossas actividades de forma integrada, dando espaço para que, dentro do nosso horário possamos satisfazer e realizar todas as nossas diferentes facetas;
2º - Identifica os pilares da tua organização, ou seja, quais são os assuntos que se deixares cair irão ter efeito dominó sobre outras facetas da tua vida e dá-lhes prioridade;
3º - Identifica o que realmente é importante dentro do teu Rumo Pessoal e dá-lhe prioridade;

4º - Utiliza uma agenda para apontares os compromissos (eventos com data e horário marcados), sim estou a falar a sério, é o modo mais eficiente para que não sejas apanhado de surpresa e comecem a surgir urgências desnecessárias que invalidem todo o teu planeamento.


2 comentários:

  1. Gostei muito do post, muito boas dicas :)

    Beijinhos *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá,
      Fico muito grata pelo feedback, é muito animador.
      Já espreitei o Littlebitofeverything, gostei bastante. Vou seguir de perto.
      Beijinhos.

      Eliminar