terça-feira, 20 de março de 2018

Gestora de Família | Teambuilding

E cá chegámos. O último post da série Gestora de Família e, talvez, o mais importante.

Habituámo-nos a ouvir falar de teambulding, criação de espírito de equipa traduzido à letra, nos ambientes organizacionais e, no entanto, raramente o aplicamos ao ambiente familiar. E porquê? Não é a nossa família uma equipa? Verdadeiramente, não é a natureza e o objetivo de uma família ser uma equipa?

O teambulding em ambiente organizacional tem como objetivo fomentar, dentro da diversidade dos recursos humanos que compõem a equipa, o espírito de união e a identificação do individual com o todo. Pois bem, em que ambiente poderá esta identificação e o sentimento de união ser mais importante do que na família? Poderia entrar em grandes pormenores filosóficos, mas sinceramente, não vale a pena. Quer seja pela importância que a família tem como alicerce emocional, quer seja porque é nesse ambiente que decorre a maior parte da operacionalidade da nossa vida (é no seu seio que dormimos, comemos muitas refeições, que cuidamos da nossa higiene, que descansamos, que tratamos da nossa roupa, que guardamos os nossos haveres), a família é a nossa equipa estruturante e, como tal, o nosso investimento nela, para que funcione bem, deverá ser grande. O que se constata? Grande parte das vezes deixamos esta equipa gerir-se, não investimos, não planeamos, não tratamos com a importância que ela tem.

Teambulding! É importante, muito importante para a equipa família e as melhores notícias são que este trabalho é do  mais prazeroso que pode existir.

Onde podemos nós investir de forma a criar, ou marcar ainda mais, este espírito de equipa? Reúne com a tua família com regularidade. Sim, é preciso juntar todos à mesa, mas não, não é preciso ser formal. Porque não aproveitas uma refeição, por exemplo o jantar, todos sentam à mesa, desligam-se as "muletas" (televisão, telefones) e conversa-se sobre o que aconteceu no dia, as férias que querem fazer, o que querem fazer esse fim-de-semana, o que precisam que se estragou, enfim....reunião de equipa 😉.

Aproveita as pequenas festividades para reforçar este espírito de união e identidade. Não é preciso gastares dinheiro, nem fazeres grandes coisas. Porque não optas por um pic-nic no chão da sala, ou pizza a meio da semana? É tão simples conseguir fazer com que uma data seja um dia diferente.

Destina um momento familiar de convívio. Eu gosto de ter uma tarde dedicada à família. Durante esse tempo não há obrigações, apenas momento em família. Saímos para passear, ou jogamos, ou não fazemos nada, mas fazêmo-lo juntos, em equipa. Mas para ti, que se calhar tens mais filhos, mais velhos do que a minha com 6 anos, talvez seja mais difícil conseguires este momento familiar de uma tarde, mas poderás, por exemplo, dedicar a noite de quinta-feira e ser o dia de ovos estrelados com batatas fritas...o que for bom para a tua família. 

Depois, claro, há as férias. Estes são momentos privilegiados de teambulding. Estão todos mais relaxados e descontraídos. Aproveita, para criar recordações, memórias de família, equipa. É ótimo ter fotografias e poder olhá-las durante o ano e lembrar aquele período em que a equipa se divertiu junta.

Importante, eu dou exemplos do que poderá ser, mas és tu quem sabe a realidade da tua família, que conheces os membros da tua equipa, do que gostam, as suas personalidades. Não existe uma fórmula feita. À gestora cabe isso mesmo, gerir a sua equipa.
Imagem by Pexels

Apenas queria alertar-te para isto, não adianta planeares tudo, gerires magnificamente o teu tempo, as tuas prioridades se não deres o primeiro lugar ao bem estar da tua família. Ao seu sentimento de união e de pertença. Se conseguires isto, tudo o resto será muito facilitado. Se não conseguires isto, encontrarás mil e um obstáculos para tudo o resto. 

Mais uma coisa, mesmo que a tua família sejas tu apenas, deves procurar fomentar uma rede de apoio. Pessoas em quem possas confiar e contar. Se assim for, tudo o que vimos nesta série de Gestora de Família aplica-se, apenas terás que adaptar. Por exemplo, neste caso de teambulding deverás garantir que tens contacto regular com essas pessoas, telefona para saber como estão, mantém-te perto da sua vida, demonstra interesse pelo que vivem. Visita-as ou convida-as para irem à tua casa. Fomenta o laço e aprofunda-o. 

Bem, e aqui ficamos nesta série de Gestora de Família. Espero que tenhas gostado e que te ajude de alguma forma a melhorares a tua vida. É esse o meu propósito.

Sem comentários:

Enviar um comentário