terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Gestora de Família | A Equipa

A Equipa!!

Tu és a gestora, verdade, mas tens uma equipa (a tua família). Já te perguntaste qual a importância de cada um dos membros da tua equipa? Qual o papel que eles desempenham na tua empresa?

É fundamental, para qualquer organismo, seja uma empresa, seja uma família, seja mesmo o corpo, que cada uma das partes esteja bem em si mesmo e em harmonia com o todo. A valorização do indivíduo como parte integrante e atuante do processo da gestão é a peça fulcral para o sucesso de qualquer, qualquer gestão. Não tenhas dúvidas.

Na verdade, são as pessoas, essa equipa quem vai executar a tua gestão, é pois determinante que olhes atentamente para a tua equipa e analises por dois prismas:

- o que podem dar à empresa/família

- o que precisam receber da empresa/família para serem felizes e estarem bem

Agora que estás a refletir sobre a tua equipa precisas analisar:
Imagem

a) cada um dos membros isoladamente 
É preciso que olhes para quem faz parte da tua equipa e percebas, objetivamente, quais são os seus pontos fortes, os seus pontos fracos, os seus interesses e aquilo que os realiza, as suas necessidades. Isso ajudar-te-á, quando for altura de delegares, a perceberes quem deve fazer o quê. Mas ao mesmo tempo também deves cuidar para que uma atividade que custe muito a um dos membros possa ser feita por outro membro, para o qual a mesma tarefa não representa um sacrifício tão grande.

Mas mais do que isto, nesta análise individual é fundamental que procures perceber o que é importante para cada um dos elementos. Pode ser passear ao domingo, ou ver futebol, ou brincar no parque, ou sair para dançar. É importante que isto seja tomado em consideração e que essas atividades passem a integrar a vivência da família. É da alegria e bem-estar de cada um dos membros da equipa que resultará a felicidade do todo, podes estar certa disso!


b) cada um dos membros no todo
Depois, claro, precisas de verificar o papel que cada um tem e poderá ter na família. Por vezes caímos no erro de não aproveitar a disponibilidade e as capacidades dos outros e acabamos por não delegar usurpando tudo para nós mesmss. Mas esse comportamento não gera felicidade, para nenhum dos lados. Vistas as rotinas de cada um, as competências e limitações, há que reflectir sobre o papel que cada um pode desempenhar no todo, de que forma podem contribuir para a empresa.


c) cada um dos membros em parceria com os outros membros
Há ainda uma outra análise que pode e deve ser feita e que tem que ver com subequipas. Para quem tem filhos esta análise é muito importante porque evita choques de personalidade e mal-estares. Queres que uma tarefa seja concretizada por dois filhos, mas eles têm personalidades diferentes, provavelmente colocá-los como equipa poderá não resultar no que pretendes, mas sim em discussões e numa atitude de oposição ao que é preciso ser feito. 

Quando tiveres esta análise feita, quando conheceres a tua equipa não de forma intuitiva mas conscientemente, verás que será mais fácil saber em quem deves delegar tarefas e quais são as necessidades que cada um tem para ser feliz e contribuir positivamente para o todo.

Há um ponto ainda muito importante, tu podes ser a gestora mas és também um dos membros da tua equipa, tens que te incluir nesta análise e com isso saber o que podes dar à empresa e aquilo que precisas dela. Sacrificares-te não leva a lado nenhum. Os teus prazeres e o teu tempo têm que ser incluídos na atividade da empresa.

Parece estranho, pode ser. Mas a tua família é de facto a tua empresa.

2 comentários:

  1. Ótima ideia!! Seguindo diretamente do Brasil!

    Se quiser dar uma passada no meu blog, pensamentos bem profundos hahah
    https://mrpalha.blogspot.com.br

    Abraços!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Mr.Palha.
      Agradeço a visita. Lá passarei, então.
      Abraços.

      Eliminar