quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Não deixes o medo parar-te

O medo e a preocupação, que é uma forma de medo menos acentuado, são emoções que nos podem paralisar. São, normalmente desencadeados pela existência de perigos, ou pelo menos pela nossa consideração de que estamos perante um perigo ou uma situação que pode potencialmente representar um perigo. Este alerta de perigo pode advir de estarmos perante o desconhecido, perante uma situação que consideramos ser prejudicial em termos sociais, por estarmos a ser avaliados ou porque sentimos que o nosso bem estar pode ser ameaçado.

O medo pode advir de muitas outras situações, mas todas elas têm o seu centro num único motivo, tememos pela nossa sobrevivência, física, moral ou social. É por isso  que esta emoção se torna tão forte, é que é quase visceral e é por isso mesmo que nos pode paralisar. De facto, o medo gera uma reacção de foco absoluto. Ou seja, quando nos sentimos em perigo a nossa atenção é toda, toda canalizada para aquilo que de mal nos pode acontecer. Tudo o resto, todas as outras possibilidades, tudo o resto que nos rodeia desfoca e tornasse demasiado ténue.
Imagem

É pois imperativo, para uma mente sã, que combata o medo na sua forma extrema. Não queremos acabar com esta emoção, claro que não. O medo permite-nos sobreviver porque nos ajuda a estabelecer limites para as nossas possibilidades de acção, ao mesmo tempo que nos avisa  de factores que podem vir a representar perigo. 

Mas não queremos viver controlados pelo medo, pela preocupação. Não queremos que nos amarre e não nos deixe caminhar livres, pois não? Como fazer, então?

Bem, bem o princípio é tomarmos consciência de que estamos a sentir medo. Uma vez esta consciência temos que desvalorizá-lo, podemos argumentar contra, por exemplo "quais são as possíveis consequências desta situação? São assim tão graves?", podemos criticá-lo "existe razão para este medo?, a situação representa mesmo perigo?"

Mas se quiseres ir um pouco mais longe, usa o teu medo em teu benefício, usa-o como meta de superação, vê na situação que te amedronta uma oportunidade para evoluíres. Mas não o faças cegamente, não é encher o peito de coragem e avançar. Isso é tolice. É preparas-te para a situação e enfrentá-la com sabedoria, preparação e coragem. 

Lembras-te de alguma situação em que não fizeste algo por medo? Como te poderias ter preparado? Como poderias ter argumentado? Como poderias ter utilizado o teu medo em teu próprio benefício?


Sem comentários:

Enviar um comentário