quinta-feira, 13 de abril de 2017

Quem me dera ser onda - Manuel Rui

Quem me dera ser onda é uma novela deliciosa. Conta as peripécias de uma família angolana que, farta da mesma comida, resolve criar um porco no apartamento para poder usufruir da sua carne por altura do carnaval. E esse fica o nome do porco, Carnaval.

A história é por si só engraçada e mais se torna pela escrita de Manuel Rui. Toda a narrativa está escrita em "português angolano", lê-se como se estivéssemos a ouvir. Uma delícia! Os diálogos são alegres e cheios de ritmo, ritmo africano. 

Dou-vos um pequeno exemplo:

"A dona virou os olhos para o leitão. Magicava nessa duvida. Como era possível criar assim um porco num sétimo andar? Prédio tudo de gentes escriturária, secretária. Funcionários de ministérios. Um assessor popular, e até um seguras num carro com duas antenas, fora os militantes do Partido?

- Isto ainda vai dar uma maka com o Instituto de Habitação? "

É uma novela que se lê num instante e que nos anima num prazer gostoso de espreitarmos a cultura angolana e de "ouvirmos" a história do porco Carnaval.

Sinopse
(retirei na Wook)

Um romance delirantemente divertido e luminosamente redentor.
Angola, poucos anos depois da independência. Estamos mais precisamente em Luanda, em anos de esquemas de sobrevivência. Um pai de família desencanta um porco e leva-o para o seu apartamento, no sétimo andar de um prédio. Os filhos, Zeca e Ruca, apaixonam-se perdidamente pelo porquinho.

Sem comentários:

Enviar um comentário