quinta-feira, 6 de abril de 2017

O Vendedor de Sonhos - Augusto Cury

Sempre gostei das palestras, entrevistas e livros "técnicos" deste autor. Fiz as suas doze semanas e esse constituiu-se um momento crucial do meu desenvolvimento pessoal. Através do livro e dos exercícios aí propostos ultrapassei uma etapa importante da minha vida e virei uma página rumo a um novo mundo, isto, claro, na esfera da mente e da emoções.
Imagem

Considero-o um indivíduo centrado na emoção humana, na sua compreensão e no seu uso desenvolvido e desapegado de vícios e armadilhas. Através das suas palavras, Augusto Cury, dá-nos acesso aquilo que defende serem os grandes segredos para uma vida mental saudável.

Com este romance, o autor traz-nos todas essas ideias mas apresenta-as através de uma história. A narrativa é suave, sem grandes desenvolvimentos, nem suspense. A escrita é pouco elaborada, é, exatamente, como se estivéssemos a ouvir Cury e não a lê-lo. Reconheci, entre as várias linhas do livro, frases que o tenho ouvido dizer, tanto em palestras como em entrevistas.

Este livro não é, na minha opinião, um verdadeiro romance, mas uma teoria que para melhor compreensão e maior disseminação foi incorporada numa história de um homem que se diz um Vendedor de Sonhos.

A história está bem estruturada, as personagens, criadas com objetivos específicos, foram construídas para retratarem a realidade, mas sem necessidade de profundidade ou de complexidade, pois o objetivo do livro não é contar uma história, é divulgar uma teoria.

A leitura tende a ser morna. Não há suspense, nem mistério. Não há nada para além da ideia que o autor quer transmitir. Mas tem bem presente, este não há nada para além não significa que desconsidere o livro. Aliás, o livro veio confirmar a minha admiração pelo autor. É um livro genuíno, com um intuito pedagógico e de partilha. É um livro bem escrito, bem estruturado. É um livro agradável de ler e que nos faz refletir e questionar.

Com este livro, Augusto Cury é, ele próprio enquanto autor, um Vendedor de Sonhos.

Sinopse
(retirei da Bertrand)
Um homem desconhecido tenta salvar da morte um suicida. De seguida, espalha a mensagem que a sociedade moderna se tornou num manicómio global. O seu discurso fresco e irreverente conquista as pessoas, habituadas a frases feitas e ao «politicamente correcto», ao mesmo tempo que as assusta. O que pensar de um estranho com ar de pedinte que fala da importância de vender sonhos ao ser humano? Uma ideia maravilhosa, mas invulgar… Numa época em que nos habituamos ao ritmo e às exigências desmesuradas de um relógio que não pára, libertarmo-nos das grilhetas da rotina e recuperarmos a consciência do que é, de facto, importante nesta vida pode ser assustador. Mas é fundamental!

Ao longo deste romance poderá seguir os passos de um Vendedor de Sonhos, uma personagem fascinante que nos deixa na dúvida se se trata de um sábio ou do mais louco dos seres?! Uma história que o fará chorar, rir, e, certamente, mudar a sua vida.

Sem comentários:

Enviar um comentário